quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

CAMPO DE GOLFE: ALÉM DA BENESSE IMOBILIÁRIA SOBRE USO DO SOLO


E, PEDIDO AO PREFEITO ELEITO 4 - QUE A AVENIDA E O PARQUE VOLTEM INTEGRALMENTE.

Área eliminada do Parque Municipal Ecológico Marapendi, cerca de 450 hectares. A linha amarela indica o local onde deveria ter sido construída a Avenida Prefeito Dulcício Cardoso, às expensas do proprietário/construtor do emprrendimento imobiliário, mesmo que de acordo com os gabaritos de altura anteriores.


Perdemos a conta de quantas postagens este blog publicou para explicar a insensatez que representaria construir um Campo de Golfe para os Jogos Olímpicos 2016 – cuja real necessidade nunca foi comprovada – que, para tanto, sacrificaria uma grande parte do Parque Ecológico Municipal Ecológico Marapendi e impediria a conclusão da Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, uma Via Parque projetada ao longo da margem norte da Lagoa de Marapendi, avenida que, além de importante para o sistema viário da Barra da Tijuca, tem a função de separar as áreas privativas das áreas públicas, e limitar o parque ecológico (v. imagem acima).


O Campo de Golfe dito olímpico, nada mais do que um gigantesco projeto imobiliário que teve com pano de fundo a alegada necessidade do equipamento para as Olimpíadas, voltou às páginas da grande imprensa por um aspecto inesperado: a possível irregularidade no pagamento de uma licença ambiental questionada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro em ação de improbidade administrativa.
É sabido que o foco do blog são as questões urbanísticas ligadas ao uso e ocupação do solo – inclusive do ponto de vista do meio ambiente -, e à proteção do patrimônio cultural. Portanto, não comentamos esse tipo de assunto (questões financeiras, por exemplo), salvo quando ligado aos desmandos urbano-cariocas.
É o caso.
Obviamente são processos em andamento, muito falta até à decisão final. Se o questionamento sobre as obras da Copa do Mundo só se apresentam anos depois das contratações e construções realizadas em nome daquele evento, o que se esperar do que poderá chegar à querida e sofrida Cidade do Rio de Janeiro? O tempo dirá após a análise os contratos, consórcios, aumentos de gabaritos envolvidos, por quem de direito.
Abaixo, as notícias sobre a ação que corre no MP.

OG 09/12/2016 - Paes tem bens bloqueados por juiz em ação de improbidade administrativa / Segundo MP, prefeito dispensou construtora do Campo de Golfe do pagamento de R$ 1,8 milhão de licença ambiental


OG 09/12/2016 - Paes nega ter dispensado empresa do pagamento de licença ambiental em ação de improbidade administrativa / Prefeitura apresentou documentos que comprovariam que construtora ignorou avisos para que pagasse a taxa


É hora de repetir o segundo pedido ao prefeito eleito: PEDIDO AO PREFEITO ELEITO: 2 – ARENA DO FLAMENGO, TARDE DEMAIS / CAMPO DE GOLFE, AINDA HÁ TEMPO.


Urbe CaRioca
NOTA: Ao lamentarmos a ausência dos aspectos urbanísticos durante todas as discussões sobre o tema, inclusive nos motivos que levaram à ação do MP – o foco eram apenas as questões ambientais naturais -, o grupo Golfe para Quem? nos informou em 10/12/2016 que “existe outro inquérito tramitando no MP sobre esses aspectos, mas infelizmente anda a passos de cágado. A ação de improbidade ajuizada no dia 05 passado é decorrente de uma representação que fizemos em 02/09/2014. Mais de dois anos para analisar uma coisa simples, óbvia, com todos os documentos entregues ‘de bandeja’. Era uma ação para ser ajuizada em 2 ou 3 meses, no máximo. (...)”. O grupo também nos informou: “Temos outro inquérito específico sobre a Operação Urbana Consorciada do Parque Nelson Mandela e aquelas suspeitas transferências de potencial construtivo (...)”.
Sobre a OUC mencionada escrevemos os posts listados a seguir. É tema complexo, repleto de inverdades criadas para justificar o injustificável Campo de Golfe.

Boa leitura.

23/11/2012 - PACOTE OLÍMPICO 2 - APA MARAPENDI: O "PARQUE" E AS BENESSES URBANÍSTICAS

04/07/2013 - “PROCURA-SE”: QUARTEL DA PM, CAMPO DE GOLFE, TRÊS HOTÉIS, E O PARQUE DAS BENESSES

10/12/2013 - PARQUE DAS BENESSES URBANÍSTICAS PODERÁ SER APROVADO HOJE

11/12/2013 (2) -  EXTRA! PARQUE DAS BENESSES URBANÍSTICAS APROVADO Sem o Bode contido no projeto original

31/12/2014 - EXTRA! EXTRA! PÃO DE AÇÚCAR SERÁ DEMOLIDO!

25/02/2015 – AVISO - REUNIÃO DO COMPUR CANCELADA, DEBATE SOBRE A MARINA DA GLÓRIA... ...e mais: COMENTÁRIOS DE CANAGÉ VILHENA, ANTONIO GUEDES, E BLOG URBE CARIOCA 

19/03/2015 - GOLFE, O INJUSTIFICÁVEL, E PARQUE NELSON MANDELA, O ENGODO AMBIENTAL E URBANÍSTICO – ALGUMAS NOTÍCIAS


11/05/2015 - DEBATE PÚBLICO SOBRE O PARQUE NELSON MANDELA, O “PARQUE DAS BENESSES”


O Globo

7 comentários:

  1. aquela riserva uno ali ficou bonito, o campo de golfe, além da paisagem paradisíaca, é importante para incentivar e difundir a prática do golfe, esporte olímpico muito pouco conhecido e menos ainda praticado no Brasil... isso faz parte do desenvolvimento do país, essas intervenções... cidade é cidade, não dá pra parar no tempo, tem que jogar a bola pra frente e fazer as coisas acontecerem, a vida acontece todo dia

    ResponderExcluir
  2. sei lá, eu acho que aquilo ali funciona melhor como campo de golfe do que como reserva ambiental abandonada... como eu disse anteriormente, cidade é cidade, não dá pra parar no tempo, a vida acontece todo dia

    ResponderExcluir
  3. aquilo ali tem tudo pra ser o melhor campo de golfe do mundo

    ResponderExcluir
  4. o golfe agora é esporte olímpico, o Brasil precisa se desenvolver

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. o Rio de Janeiro hoje é outro, o Rio tá melhor, mais forte

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir