quarta-feira, 8 de junho de 2016

LINHA 4 - BLOG METRÔ DO RIO ENTREVISTOU ATILIO FLEGNER



Desde que o blog Urbe CaRioca foi criado, repetimos à exaustão que o alardeado projeto da Linha 4 do Metrô – obra apresentada também como ‘legado olímpico’ – é, na verdade, a extensão da Linha 1 pelos bairros de Ipanema e Leblon até a Gávea. Na verdade, a Linha 4 deveria ligar o Centro à Gávea via Botafogo, Humaitá, Jardim Botânico e Gávea, e, a partir da Estação Gávea, seguir em direção à Barra da Tijuca, conforme o traçado da Linha 4 verdadeira, o que teria trazido inúmeros benefícios para a mobilidade urbana da Cidade do Rio de Janeiro, compreendendo um legado real para os cariocas.

A opção do governo estadual, criticada por inúmeros especialistas e Associações de Moradores, foi adiante, sob o silêncio do governo municipal, o mesmo que implementou o projeto de reurbanização da Zona Portuária sem considerar a integração fundamental da região (e, portanto, da Zona Norte e do Centro do Rio) com o Aeroporto Internacional através de Metrô (Linha 5 original), mas, criando um novo modal setorizado na cidade: o belo Veículo Leve Sobre Trilhos - VLT.

No último dia 23/05 o Blog Metrô do Rio, de responsabilidade de Miguel Gonzalez, entrevistou Atilio Flegner, da Página no Facebook Metrô que o Rio Precisa, sobre ‘A inauguração apressada do chamado pelo Governo de Linha 4 mas que a população apelidou de "puxadinho da Linha 1" causa apreensão entre os cariocas’.

Vale conhecer a análise de Atílio Flegner, que reproduzimos abaixo, bem como a Linha do Tempo da Linha 4, publicada por Miguel Gonzalez três dias após aquela entrevista. Boa leitura.

NOTA: Hoje entrevistamos uma moradora da Zona Norte que trabalha todos os dias na Zona Sul e costuma usar o Metrô. Hoje, por estar em recuperação, ainda adoentada, precisava se sentar. Para tanto, após viajar em pé desde a Estação Engenho da Rainha, saiu do vagão na Estação Estácio, e optou por um ônibus: sentada e mais rápido do que pelo Metrô, com baldeação. O que acontecerá quando o metrô-tripa ficar pronto?

Urbe CaRioca



Quem Vai Assumir a Irresponsabilidade?


Blog Metrô do Rio (não oficial)
Miguel Gonzalez



Trecho da entrevista


BLOG: Atílio, como especialista em transportes, você acha que a Linha 4 vai facilitar a vida do carioca?

Atílio Flegner: De certa forma ela irá trazer o benefício da previsibilidade no tempo de viagem e também a rapidez de se chegar na Barra. Hoje é muito difícil o transporte entre Centro, Z.Sul e Barra, pois as vias de carros estão saturadas e o serviço de ônibus é muito precário, ainda mais depois da racionalização das linhas. Porém a “linha 4” representará um significativo aumento na demanda na Linha 1, que já opera com superlotação, ou seja, o benefício não será benéfico como seria se fosse feita a Linha 4 original.

BLOG: Como você viu a mudança no traçado da Linha 4, do projeto original de 1998, para o que estão construindo agora?

Atílio Flegner: A mudança de traçado foi algo bem prejudicial a concepção da Linha 4. O traçado licitado em 1998 iria ligar o Jardim Oceânico ao Bairro de Botafogo. Depois disso, foi feito um estudo da Rio Trilhos que indicava uma Linha 4 ligando o terminal Alvorada até a estação Carioca no centro da cidade. Em 2010 o traçado foi abandonado e resolveram implementar esse traçado atual que nada mais é que uma extensão da Linha 1 até a Barra. Sendo uma extensão, o sistema de metrô do Rio configura-se de forma anômala, sendo uma espécie de tripa e não uma rede. Esse sistema de linha única possui várias desvantagens dentre elas a mais prejudicial é o aumento da superlotação nos trens.

(...)






Nenhum comentário:

Postar um comentário