quarta-feira, 29 de julho de 2015

CLUBE FLAMENGO – A ARENA DESTRAVADA


NOTA (em 30/07/2015) - Seria interessante conhecer a opinião das entidades que compõem o Conselho de Curadores do Desafio Ágora Rio: Mobilidade Urbana, sobre a construção do empreendimento no local e os decorrentes impactos sobre o tráfego nas vias e bairros que circundam o terreno do Clube Flamengo. Divulgamos a existência do segundo "desafio" em 22/04/2015 no post MOBILIDADE URBANA - PMUS: OUTRO PLANO SUSTENTÁVEL. O Urbe CaRioca não enviou sugestões como fez no primeiro "desafio" com a proposta PRESERVAR O PARQUE MUNICIPAL ECOLÓGICO DE MARAPENDI ÍNTEGRO. As razões estão expostas nos muitos artigos deste blog, em especial  O ÁGORA, O PARQUE MARAPENDI, O GOLFE, E O MONÓLOGO DO PREFEITO DO RIO DE JANEIROMARAPENDI - O MONÓLOGO ENGANOSO E O CAMPO PESSOAL; e MARAPENDI E ÁGORA – O ESPERADO, A VERSÃO OFICIAL, O ENGODO, E A VERDADE. Embora a sensação de atraso em relação às inúmeras decisões já tomadas, e inoperância (Metrô não prioritário, rodoviária em São Cristóvão, modelo “rodoviarista” com BRT em vez de transporte de massa sobre trilhos), ao menos dessa vez constituiu-se um grupo com representantes de várias instituições. Tenhamos esperança!




Em 15/06/2015 o site Band Esporte Uol publicou que “Com apoio da Secretaria Municipal de Esportes, através de Marcos Braz, o Flamengo destravou na Casa Civil o projeto para a construção de sua Arena da Gávea, voltada aos esportes olímpicos”.

O assunto fora comentado neste blog no mês de março/2015 em CLUBE FLAMENGO – UMA ARENA, UM NÓ DE TRÂNSITO, E UM BEM TOMBADO (13/03) e em CLUBE FLAMENGO – ESTÁDIO OU GINÁSIO? Dúvidas, Reunião, Depoimento e Processos (20/03), leitura sugerida a quem não acompanhou, inclusive para conhecer o depoimento de Leonel Kaz, conhecedor dos antecedentes que precedem em muito a era do “Tudo é Pra Olimpíada”.

Tendo em vista as exigências feitas em junho o processo (de 1984!) se não totalmente destravado, caminhou.

Processo nº 06/370139/1984
Em: 18/06/2015 (Diário Oficial do Município 19/06/2015)
Cumpra as Exigências
1- apresentar novo projeto para análise compatível com o analisado pelo IPHAN;
2- apresentar projeto visado pelo IPHAN citado no Ofício daquele órgão nº 0324/15;
3- atender às exigências 2 a 12 de 30/03/15;
O projeto será encaminhado ao IRPH para manifestação.

A Coluna Gente Boa (O Globo 18/07/2015), por sua vez, informou que O Flamengo tem planos bem mais ambiciosos para a área de sua sede na Avenida Borges de Medeiros, na Lagoa, onde funcionava o posto Mengão — e hoje é uma expansão de seu estacionamento. O projeto do clube é construir ali uma arena multiuso com quatro mil lugares”. A data coincide com prazo para cumprimento das exigências.

Se as mesmas foram atendidas, o processo será encaminhado ao Instituto Rio Patrimônio da Humanidade – IRPH, a antiga Secretaria Extraordinária de Patrimônio Cultural, transformada em órgão ligado diretamente ao Prefeito do Rio. Neste âmbito, vale relembrar que tanto este setor quanto o IPHAN não têm a atribuição de decidir em desacordo com as normas vigentes, obviedade que às vezes é esquecida, como no caso da Marina da Glória, por exemplo. Por outro lado, os órgãos de planejamento urbano, sim, têm o dever de analisar se o local, nos dias de hoje, é adequado para a construção de um local de reuniões e eventos daquele porte.

Quando o Clube Flamengo recebeu a cessão de uso do terreno, em 1931, o Rio de Janeiro era outro. Lagoa, Ipanema, Jardim Botânico, Gávea e Leblon, eram regiões afastadas do Centro – chamado até hoje por muitas pessoas de ‘A Cidade’ – bairros de periferia, ocupados principalmente por fábricas, residências, vilas operárias, e muitas favelas.

Construção do Hipódromo da Gávea
Fonte: site JCB

Favela da Praia do Pinto - sem data
Internet
Internet - Blog De Tudo um Pouco


A cidade cresceu, adensou-se, e envolveu o Clube Flamengo e todos os vizinhos, como o Clube Paissandu (1953) em lugar que “Apesar de ser uma área bastante privilegiada, trazia também grandes desafios. À primeira vista mal poderia ser considerado terreno, tamanha era a quantidade de água que precisava ser aterrada. Os vizinhos também eram bastante diferentes dos de hoje. De um lado, a Favela da Praia do Pinto, do outro, a Favela de Ilha das Dragas. E para todo lugar que se olhasse, lixo e mais lixo” (fonte – site clube Paissandu); a AABB (1953), o Jockey Club (anos 1930), o Clube Militar (aforado em 1940) e o clube Monte Líbano, entre outros. Em vários casos os governantes da época deram destino a terrenos alagadiços e charcos provavelmente sem serventia, ainda não invadidos, por meio de cessões, aforamentos e doações.

Resta saber se hoje o Rio de Janeiro comporta, em meio a um nó de trânsito, o que pleiteia o clube da Nação Rubro-Negra. 

Espera-se que instituições afins analisem o assunto, e que a Prefeitura informe ao público as bases para sua decisão.

Abaixo, o trâmite do processo.

Urbe CaRioca
consulta ao site da prefeitura em 29/07/2015

SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO - ANDAMENTO DE PROCESSOS

Últimos trâmites do processo: 06/370.139/84

Origem
Parecer

Data do Parecer
Data de Prazo
Destino
U/SUBG/ADS/GIL
Aguardar no prazo da publicação

17/07/2015

U/SUBG/ADS/GIL
U/CGPE/CLE
Aguardar no prazo da publicação

17/07/2015

U/SUBG/ADS/GIL
U/SUBG/ADS/GIL
Analisar

24/06/2015

U/CGPE/CLE
U/SUBG/ADS/GIL
Cumpra as Exigências
http://www2.rio.rj.gov.br/smu/consulta-smu/exigencia.png
16/06/2015
18/07/2015
U/SUBG/ADS/GIL
U/CGPE/CLE
Aguardar 30 dias

15/06/2015
15/07/2015
U/SUBG/ADS/GIL
U/SUBG/ADS/GIL
Analisar

15/06/2015

U/CGPE/CLE
U/CGPE/CLE
Aguardar 30 dias

11/05/2015
11/06/2015
U/SUBG/ADS/GIL
U/CGPE/CLE
Analisar

11/05/2015

U/CGPE/CLE
U/CGPE
Analisar

11/05/2015

U/CGPE/CLE
U/CGPE
Analisar

11/05/2015

U/CGPE

Nenhum comentário:

Postar um comentário