quinta-feira, 19 de março de 2015

GOLFE, O INJUSTIFICÁVEL, E PARQUE NELSON MANDELA, O ENGODO AMBIENTAL E URBANÍSTICO – ALGUMAS NOTÍCIAS



Após o ódio declarado pelo sr. Prefeito e comentado por Thomas Bach, presidente do COI, em sabatina com alunos universitários (Site G1, 25/02/2015) e neste blog em ÓDIO AO CAMPO DE GOLFE DOS JOGOS OLÍMPICOS, o silêncio impera. No entanto, o assunto continua a ter desdobramentos. Domingo haverá um bicicletaço; o “Ódio” e o Campo foram objeto de artigo com palavras fortes, autoria de Lucio de Castro (ESPN, 17/03/2015); o movimento Ocupa Golfe - que continua e deu cria, o Ocupa Marina da Glória – protocolou a segunda Representação por Improbidade Administrativa apresentada contra o Prefeito Eduardo Paes perante o MPRJ.

Quanto ao Parque Nelson Mandela, de fato, trata-se de um engodo. O assunto complexo pode ser conhecido em PACOTE OLÍMPICO 2 - APA MARAPENDI: O "PARQUE" E AS BENESSES URBANÍSTICAS. A fábula urbano-carioca EXTRA! EXTRA! PÃO DE AÇÚCAR SERÁ DEMOLIDO! ajuda a compreensão e explica que o “parque” nada compensa nem guarda relação com o que foi retirado do Parque Municipal Ecológico Marapendi.

  Abaixo, as notícias.
Urbe CaRioca




1 - Grande ‘Bicicletaço’ Ecológico

O Movimento Ocupa Golfe convida para o primeiro ‘Bicicletaço’ Ecológico pela Preservação da Reserva de Marapendi – este é o link na rede Facebook.
Domingo, dia 22/03/2015, às 15.00h
Local: Avenida das Américas nº 10001



2 - Um artigo contundente



Lucio de Castro

“Tento puxar pela memória. Aperto os olhos, vou recuando no tempo. Mas nem que ficasse mais dois anos nesse exercício de franzir a testa e contrair as pálpebras, ação comum quando se tenta salvar alguma recordação perdida, conseguiria resultado satisfatório.

Por mais força que faça, não me lembro de um desmentido tão categórico, na lata, sem qualquer esboço de resposta, como o que Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), esfregou na lata do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. Nem a funda de um black block seria tão devastadora. Explodiu na testa de Paes.

Depois de anos na trincheira para construir o campo de golfe olímpico que invade uma reserva ambiental, o alcaide carioca tenta se descolar da paternidade do monstro, da aberração, do desaforo com a cidade e com o cidadão carioca. Mais do que isso: com qualquer um, de qualquer lugar, capaz de se indignar com as coisas feitas ao arrepio da lei e da ética.

Com o jogo virando, a sociedade começando a chiar e o Ministério Público em cima, Paes tentou sair de fininho.”

(...)




3 - Representação por Improbidade Administrativa

Movimento Golfe para Quem? divulgou inteiro teor da segunda Representação por Improbidade Administrativa apresentada contra o Prefeito Eduardo Paes perante o Ministério Público RJ, feita no dia 18/03/2015 - Protocolo: 201500286395.
O chamado Parque Nelson Mandela, foi tratado na petição por “ENGODO AMBIENTAL E URBANÍSTICO”, expressão adequada a mais uma proposta que nada garante a não ser benefícios para o mercado imobiliário à custa de aumento do número de andares na Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes. A quem interessar, o teor do documento está na página da rede social do Facebook neste link.



Nenhum comentário:

Postar um comentário