domingo, 23 de novembro de 2014

POR QUE PRESERVAR O PARQUE MARAPENDI


Desenho: Urbe CaRioca


Hoje é o último dia para enviar sugestões ao projeto Ágora da Prefeitura do Rio de Janeiro, e comentar as propostas selecionadas, cuja lista está neste link. A proposta do blog Urbe CaRioca aparece em segundo lugar, conforme votação final, não obstante a enxurrada de votos negativos – caso único em todo o processo – e as estrelas de menor valor a ela atribuídas, pelos eleitores misteriosos.

Ao constatar que a ‘descrição da ideia’ acrescentada pelos organizadores não correspondia aos objetivos, entramos em contato com o Desafio Ágora e fomos prontamente informados de que era possível comentar caso não nos sentíssemos contemplados com a referida descrição.
Abaixo, o texto que enviamos para ser inserido no documento final que será entregue ao Prefeito, e, a seguir, a pontuação final da ideia, obtida graças ao apoio dos leitores de blog, colegas arquitetos, biólogos, advogados, engenheiros florestais, ambientalistas em geral e dezenas de cariocas defensores da cidade.
Urbe CaRioca



Aos organizadores do Desafio Ágora,
Descrição da ideia:

PRESERVAR O PARQUE MUNICIPAL ECOLÓGICO MARAPENDI ÍNTEGRO significa manter a continuidade da reserva ambiental ao longo de toda a margem norte da Lagoa de Marapendi, área protegida há mais de meio século, cuja parte destinada ao Parque vem sendo implantada há décadas durante sucessivas administrações públicas, nos moldes da legislação urbanística vigente no Rio de Janeiro, isto é, mediante a doação de áreas à cidade gradativamente, à medida que condomínios de edifícios, residências e prédios comerciais são construídos conforme códigos de obras baseados no Plano Piloto para a Baixada de Jacarepaguá, de autoria do arquiteto Lucio Costa. PRESERVAR O PARQUE MUNICIPAL ECOLÓGICO MARAPENDI ÍNTEGRO também implica em garantir a possibilidade de completar a antiga Via 2 – uma avenida parque idealizada por Lucio Costa que separa as terras destinadas à ocupação urbana e protege a área de reserva, além de consistir em alternativa ao trânsito da Avenida das Américas através de uma “via calma” que margeia a restinga e proporciona lazer contemplativo, passeios a pé, de bicicleta ou veículos: é a atual Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso.

Do ponto de vista urbanístico, ambiental e cultural, perder a continuidade da reserva e do parque Marapendi é inaceitável. Quaisquer outros interesses envolvidos devem partir dessa premissa e a ela serem adaptados, inclusive a intenção de construir um campo de golfe para os jogos olímpicos de 2016, que deve, no mínimo, respeitar os limites impostos pela via parque e pela existência da restinga protegida.

Andréa Redondo/Blog Urbe CaRioca

____________________________________
Informações gerais:
Fase de discussão:
·        Avaliações positivas: 331
·        Avaliações negativas: 92

Fase de avaliação:
·        Avaliação de 1 estrela: 37
·        Avaliação de 2 estrela: 1
·        Avaliação de 3 estrela: 2
·        Avaliação de 4 estrela: 3
·        Avaliação de 5 estrela: 77
·        Média: 3,68

Nenhum comentário:

Postar um comentário